Posts Tagged ‘Mulheres’

Filmes Feministas.

Não é de hoje que venho querendo falar sobre feminismo aqui no blog, mas antes de realmente começar a expor minhas opiniões sobre o assunto eu vou deixar alguns filmes que vão fazer você compreender esse mundo feminista no qual eu me encaixo perfeitamente, esses filmes são baseados em histórias reais e mostram mulheres realmente inspiradoras no qual vale a pena encher a boca e dizer “ EU SOU FEMINISTA”, essas mulheres me representam, essas eu quero me espelhar, porque elas fizeram a diferença para suas gerações futuras que somos nós #MULHERES.

Peguem os lencinhos, pois é impossível não chorar e se colocar no lugar dessas mulheres.

1) As sufrigistas
Esse filme é maravilhoso ele mostra o começo de tudo, retrata a Inglaterra no início do século XX onde o feminismo mostra sua força pela primeira vez e mulheres lutam pelo direito do voto e por melhores condições de vida, vale muita a pena assistir.

2)Terra Fria
Cansada de apanhar do marido  Josey Aimes pega seus filhos e vai em busca de uma vida melhor, a mesma começa a trabalhar em uma mineradora de ferro onde começa a sofrer constantes assédios e no enrolar da trama todos descobrem a real história de Aimes.

3) A dama de ferro
O filme é uma biografia da dama de ferro e conta a história de Margaret Tatcher que foi a primeira mulher a ocupar o posto de primeiro-ministro do Reino Unido, ela passa por muitas dificuldades e preconceito, mas é tão forte que supera um ambiente totalmente patriarcal e fica 11 anos no cargo.

4) Histórias Cruzadas
Baseado no livro A Resposta o filme se passa em uma pequena cidade no sul dos Estados Unidos o longa conta a história de Skeeter (Stone), uma garota da sociedade que está determinada a se tornar escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, com a intenção de escrever um livro que retrate as mazelas do sistema.

5)Estrelas além do tempo
Conta a história de três mulheres negras que trabalham como matemáticas para a NASA. Cercadas pelo racismo expresso na forma de segregação racial, as adversidades não as impediram de abrir espaço para mulheres afro-americanas na NASA, justamente no auge da corrida espacial travada entre Estados Unidos e Rússia durante a Guerra Fria. Sem duvida um filme muito inspirador.

Espero que gostem dessa seleção especial que retrata histórias de mulheres especiais e reais que conseguiram com garra e determinação mudar uma geração inteira.
Essas feministas me inspiram a querer sim um mundo igual, mas não apenas entre homens e mulheres mas igual para qualquer ser humano independente de sua cor, raça, religião e classe social.

Beijinhos da intrometida e até a próxima.

Dia internacional da mulher.

FotorCreated
Olá amores tudo bem?

Hoje é dia 08 de março dia internacional da mulher e claro que a intrometida aqui não podia deixar passar em branco uma data que lembra a luta por melhores condições de vida e trabalho a conquista por nossos direitos à igualdade, lembra todas as mulheres guerreiras que vão à busca dos seus sonhos que trabalham, cuidam da casa, dos filhos, do marido sem nunca perder a esperança e claro o sorriso no rosto.
Eu me orgulho muito por ser mulher e mais ainda por saber que antes de mim existiram muitas mulheres fortes que fizeram de tudo para tentar diminuir nossa historia de preconceito e desvalorização, porem mesmo com todos os avanços, nós ainda sofremos, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional.
Muito já conseguimos conquistar, mas muito ainda há para ser modificado nesta história, o mundo é nosso e ninguém vai calar a nossa voz. Somos Fortes, Guerreiras, Independentes… SOMOS MULHERES.

E para fechar esse post com chave de ouro segue dicas de alguns livros que eu gosto muito que foram escritos por – e para – mulheres.
page

1)EU SOU MALALA – MALALA YOUSAFZAI
Malala tinha apenas 10 anos quando o Talibã tomou conta do Vale do Swat, Paquistão, onde vivia com os pais e os irmãos. Ela lutou com todas as forças por seu direito à educação. E, em 9 de outubro de 2012, quase perdeu a vida por isso – foi atingida por um tiro na cabeça quando voltava de ônibus da escola. Poucos acreditaram que ela sobreviveria. Hoje Malala é um grande exemplo do poder do protesto pacífico. Nesta versão juvenil da sua autobiografia, que virou um best-seller internacional, ouvimos da própria Malala a incrível história dessa garota que, desde muito cedo, decidiu mudar o mundo.

2)LIVRE – CHERYL STRAYED
Aos 22 anos, Cheryl Strayed achou que tivesse perdido tudo. Após a repentina morte da mãe, a família se distanciou e seu casamento desmoronou. Quatro anos depois, tomou a decisão mais impulsiva da vida: caminhar 1.770 quilômetros da Pacific Crest Trail (PCT) – trilha que atravessa a costa oeste dos Estados Unidos, do deserto de Mojave, através da Califórnia e do Oregon, em direção ao estado de Washington – sem qualquer companhia. Cheryl não tinha experiência em caminhadas de longa distância e a trilha era bem mais que uma linha num mapa. Em sua caminhada solitária, ela se deparou com ursos, cascavéis e pumas ferozes e sofreu todo tipo de privação.
Em Livre, o best-seller que virou filme, a autora conta como enfrentou, além da exaustão, do frio, do calor, da monotonia, da dor, da sede e da fome, outros fantasmas que a assombravam.
A obra traz uma história de sobrevivência e redenção: um retrato do que a vida tem de pior e, acima de tudo, de melhor.

3) MELANCIA – MARIAN KEYES
‘Melancia’ é um romance sobre a arte de manter o bom humor mesmo nos momentos mais adversos. Com 29 anos, uma filha recém-nascida e um marido que acabou de confessar um caso de mais de seis meses com a vizinha também casada, Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e os efeitos colaterais de gravidez, como, digamos, um canal de nascimento dez vezes maior que seu tamanho normal! Nada tendo em vista que a anime, Claire volta a morar com sua excêntrica família: duas irmãs, uma delas obcecada pelo oculto, e a outra, uma demolidora de corações; a mãe viciada em telenovelas e com fobia de cozinha; e o pai, à beira de um ataque de nervos. Após passar alguns dias em depressão, bebendo e chorando, Claire decide avaliar os prós e os contras de um casamento de três anos. É justamente nessa hora que James, seu ex-marido, reaparece. Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa.

4) COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ – JOJO MOYES
Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

5)SUBINDO PELAS PAREDES – ALICE CLAYTON
A jovem Caroline Reynolds tem um fantástico novo apartamento em San Francisco, uma promissora carreira como designer de interiores, mas nenhum orgasmo. Ela tem uma deliciosa receita de pão de abobrinha, faz uma torta de maçã para se comer rezando, mas nenhum orgasmo. Ela tem Clive (o melhor gato de todos), ótimas amigas, uma chefe divertidíssima, mas nenhum orgasmo. Ela é atraente, segura de si e inteligente, mas…

6)EU SÓ QUERIA SER UMA MULHER NORMAL – DÉBORA RUBIN DE TOLEDO
Quando Cecília completa 30 anos, nada do que ela imaginava que ia acontecer em sua vida aconteceu. Separada, desempregada e com uma paixão não correspondida, acha que, definitivamente, não é uma mulher normal. Atrás de respostas para suas angústias, parte para uma jornada em busca das histórias de amor de suas antecessoras – sua mãe, sua avó e sua bisavó. Seriam elas mulheres tão anormais quanto ela? Durante a viagem à cidade de sua família, ela descobre histórias do passado que tinham sido mantidas em segredo até então e, aos poucos, questiona-se sobre o que é, afinal, ser uma mulher normal.
Beijinhos da intrometida e até o próxima!